Alentejo meu

O meu Alentejo

{ @ } · { PoemasTrocando Olhares }

Meio-dia. O sol a prumo cai ardente,
Dourando tudo…ondeiam nos trigais
D´ouro fulvo, de leve…docemente…
As papoulas sangrentas, sensuais…

Andam asas no ar; e raparigas,
Flores desabrochadas em canteiros,
Mostram por entre o ouro das espigas
Os perfis delicados e trigueiros…

Tudo é tranqüilo, e casto, e sonhador…
Olhando esta paisagem que é uma tela
De Deus, eu penso então: onde há pintor,

Onde há artista de saber profundo,
Que possa imaginar coisa mais bela,
Mais delicada e linda neste mundo?!

Florbela Espanca

Anúncios

3 responses to “Alentejo meu

  1. Agora sim, deixei qualquer coisa que amo no Alentejo, a poesia de Florbela Espanca e os campos de papoilas.
    Beijinho, amigo Luís.

  2. Bom dia Luís!

    Um belo soneto de uma das minhas poetisas de eleição, somado ao facto de ser totalmente apaixonada pelo Alentejo.
    Parabéns.
    Obrigada pela gentil visita.
    Beijinho

  3. Feliz Ano Novo, Luís!

    Beijinho,
    Ana Martins

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s